Certificado Cadastur - Ministério do Turismo do Brasil - 26.064298.80.0001-2

As subidas de bike mais difíceis do mundo

  • 30/05/2017

Você não precisa ser um profissional para curtir a glória de conquistar uma subida -escalada- épica.


Ao redor do mundo existem incontáveis lugares para pedalar, mas alguns obstáculos, como serras, estradas e montanhas, sempre fizeram parte do desejo de superação do ciclistas.

Algumas subidas são chamadas de "clássicas", outras de impossíveis, o fato é que pedalar morro acima revela um poder interno de realização, que somente ciclistas com dedicação e comprometimento com o esporte conseguem extrair esse raro prazer após uma boa dose de sofrimento.

"Qual é seu desafio?"

Conheça as subidas mais incríveis e difíceis do mundo.



 
"Death Valley" nos Estados Unidos© Christian Pondella/Red Bull Content Pool

Vale da Morte: uma janela para os portões do inferno

Onde: EUA

Distância: 64.8km

Máxima inclinação: 13%

Vertical (altimetria acumulada): 1,785m

Perigos: Calor excessivo e morte

O "Vale da Morte" geralmente não é conhecido como o melhor lugar para pedalar. Com temperaturas no verão em torno dos 49°C, o localidade tem referências com nomes como: Montanha Funerária, Campo de Golfe do Diabo e Pico do cova.

No entanto, é o único lugar do mundo em que é possível partir do nível do mar e subir a uma altitude de 1.700 metros acima do mar! O percurso começa a -85.5 metros do nível do mar, o ponto mais baixo dos Estados Unidos em Badwater Basin, considerado um lugar seco e coberto de sal. Nos primeiros 25 quilômetros de pedalada sentido o visual panorâmico "Dante", o caminho é quase plano, de modo que os próximos 30km de asfalto sobem com 4% de inclinação. No último quilômetro a estrada chega a 13% de inclinação, terminando num pequeno estacionamento com vista do vale.

 
Passagem Khardung na Índia© Prabhu B Doss

Subida Khardung: sonho de pedal no Himalia

Onde: Índia

Distância: 39km

Máxima inclinação: 5%

Vertical (altimetria acumulada): 1,859m

Perigos: Doença da Altitude e motoristas de caminhões militares

Aclamada por muito tempo como a estrada trafegável mais alta do mundo, a subida Khardung faz parte da lista de desejos de muitos ciclistas que estão em busca de aventura.

Partindo da cidade de Leh, são aproximadamente 39km de o topo com 5% de inclinação em estrada de terra. Nos últimos 15km, muitas pedras e condição irregular do piso aumentam o desafio. E devido a proximidade entre as fronteiras com o Paquistão e a China, muitos caminhões militares trafegam na região, sendo um dos perigos aos ciclistas, assim como a doença do "mal da montanha" em virtude do ar rarefeito que atinge pessoas desacostumadas a tais condições a partir dos 2.400 metros de altitude.

 
Subida Stelvio, na Itália© Oliver Wieser

Passo Dello Stelvio: a subida dos masoquistas

Onde: Itália

Distância: de Prato, 24.3 km

Máxima inclinação: 14%

Vertical (altimetria acumulada): 1,808m

Perigo: Tortura psicológica

Visto de cima, o caminho que forma a subida clássica do "Passo dello Stelvio" parace alucinante. Devido a elevação, a estrada só fica aberta no verão e dependendo da época, é possível defrontar com paredes de gelo nas laterais, como cenas já vistas da prova ciclística Giro da Itália.

O caminho a parit da cidade de Prato, no lado norte, tem 1,808 metros de altimetria acumulada de subida numa estrada sinuosa com 48 curvas e muitas pedras no asfalto.

O lendário Fausto Coppi, apelidado de "Il Campionissimo" (Campeão dos campeões), disse uma vez após superar a subida: "Pensei que ia morrer na subida" e a medida que você pedala morro acima, a sensação só piora.


 
Subida "Hardnott" na Grã Bretanha© Steve Fleming

Hardknott Pass: A subida para almas resistentes

Onde: Reino Unido

Distância: 2.6km

Máxima inclinação: 33%

Vertical (altimetria acumulada): 315m

Perigos: Vento, chuva e carneiros

A Inglaterra pode não ter montanhas altas como os Alpes, mas como vimos no Tour de France 2014, o norte do país em Yorkshire apresenta boas subidas. O Hardknott Pass no Distrito do Lago é aclamada como a subida mais íngreme e dura do país.

O inícia da subida já apresenta uma rampa inclinada, obrigando o ciclista a aliviar as marchas, seguido por curvas bem fechadas que chegam a ter 30% de inclinação gradiente. Se você sobreviver a este começo, prepare-se para o trecho final com "apenas" 800m com inclinação de 20-25 %. Outra coisa que dificulta a vida do ciclista é que a estrada fica bem exposta, recebendo sempre rajadas de vento e a famosa chuva britânica.

 
Mont Ventoux, na França© AFP/Getty Images

Mont Ventoux: Para ciclistas em busca de martírio

Onde: França

Distância: De Bédoin, 21.8km

Máxima inclinação: 11%

Vertical (altimetria acumulada): 1,611m

Perigos: Vento, calor e duração

Mont Ventoux é uma das escaladas mais clássicas na comunidade ciclística e também a mais temida na França.

Conhecida como a "gigante da província", a subida é longo com 1.912 metros de altimetria acumulada. São 21.8km a partir da cidade de Bédoin, sempre com estrada asfaltada com inclinação constante de 10% de inclinação. Talvez a inclinação não seja um problema para a maioria dos ciclistas, acontece que a cada metro de altitude, o ambiente vai ficando sem vegetação e cada vez mais exposto as influências dos ventos fortes de várias direções. O local, inclusive, já foi palco de acontecimentos trágicos, como a morte por exaustão do ciclista inglês Tom Simpson, de 29 anos, durante o Tour de France de 1967.

 


Clássico: Los Caracoles no Chile© Pinar Pinzuti

Paso Internacional Los Libertadores: Vista linda de morrer

Onde: Chile/Argentina

Distância: 25km

Máxima inclinação: 14%

Vertical (altimetria acumulada): 1,600m

Perigos: Altitude, caminhões e o frio

Essa passagem de alta montanha tem seu próprio endereço no Twitter para registrar os acontecimentos na fronteira andina entre o Chile e a Argentina. O caminho a partir da cidade de "Los Andes" no Chile é um caracol perfeito, formado por inúmeros "switchbacks" até alcançar a altitude de 3,800m com uma estátua do Cristo Redentor para dar as boas-vindas. As primeiras 29 curvas sobem um desnível de 600 metros de altimetria até 2,800metros acimado nível do mar. De lá são mais 5km até a divisa com a imigração Chilena. Depois disso são mais 2km pela estrada antiga para atingir o cume da montanha. O pico é bastante difícil de alcançar em virtude da própria altimetria (efeitos do mal da montanha pelo ar rarefeito), além das pedras e mais 10% de inclinação. O vento é outro elemento desafiador, mas chegando lá no topo a recompensa é a vista inigualável do pico mais alto da América do Sul, o Aconcágua. A dica aqui é levar roupas quentes para suportar o frio nas alturas.

 
Subida em Grossglockner, Áustria© Lorenz Masser / Red Bull Content Pool

Por: Redbull

Compartilhe

Curta nossa Fan Page

Veja também

Bikers Rio Pardo | Artigo | Ciclismo é a melhor opção para manter a saúde e a produtividade

Ciclismo é a melhor opção para manter a...

Locomover de bicicleta diariamente, para ir ao trabalho ou à escola, reduz em 52% o risco... veja +

Bikers Rio Pardo | Artigo | Caramanholas podem ter mais bactérias que vasilhas de cachorros

Caramanholas podem ter mais bactérias qu...

Estudo realizado em 2016 revela que, em média, cada garrafinha tinha 313.499 mil colônias... veja +

Bikers Rio Pardo | Artigo | O que acontece com seu corpo ao berber álcool depois de um pedal pesado

O que acontece com seu corpo ao berber á...

Timing e moderação são importantes se você não quiser atrasar sua recuperação

Bikers Rio Pardo | Artigo | Não gosta de malhar? Treino de bike também pode gerar hipertrofia

Não gosta de malhar? Treino de bike tamb...

Estudo liderado pelo professor Paulo Gentil diz que um treino de ciclismo que recrute o má... veja +

ACESSE O SITE

Ainda não possui conta? Clique aqui para se cadastrar!

Esconder

Recuperar senha?

Perdeu a senha? Informe o seu e-mail. Você receberá um link para recuperar a senha.

Mensagem de erro!



Voltar para login

Fechar

Próximo Evento: 7º Pedal Sport PURA VIDA - Poços de Caldas - 22/10/2017

Bikers Rio Pardo | 7º Pedal Sport PURA VIDA - Poços de Caldas